Pesquisar

Programação do Ano Eucarístico da arquidiocese de Juiz de Fora é apresentada em coletiva de imprensa

Na manhã de segunda-feira, 15 de janeiro, a arquidiocese de Juiz de Fora convocou uma coletiva de imprensa com o intuito de apresentar aos jornalistas e, consequentemente, à população da região, as atividades comemorativas que serão realizadas durante todo o ano de 2024 em referência ao Centenário Diocesano. A imprensa foi recebida no prédio da Cúria Metropolitana e obteve as informações do arcebispo, Dom Gil Antônio Moreira, do assessor eclesiástico da Pastoral da Comunicação Arquidiocesana e integrante da comissão de preparação para a festa, Pe. Rafael Coelho do Nascimento, e do Pe. Pierre Maurício de Almeida Cantarino, Pároco da Paróquia Santa Rita de Cássia (Bonfim – Juiz de Fora).

Primeiramente, Dom Gil fez um apanhado histórico sobre a criação da diocese, em 1º de fevereiro de 1924, com a Bula Pontifícia “Ad Sacrosancti Apostolatus Officium”, do Papa Pio XI, tendo seu território desmembrado da Arquidiocese de Mariana. Em seguida, o Pastor Arquidiocesano deu destaque ao primeiro Bispo Diocesano, Dom Justino José de Santana, e suas principais conquistas à frente da Igreja Particular que surgia. Entre elas, estão a construção da Catedral e do Seminário Santo Antônio, a fundação do jornal “O Lampadário” e do Patronato São José, além da promoção de dois congressos eucarísticos. “Dom Justino José de Santana é uma pedra fundamental nesta diocese. Merece da nossa parte todo respeito e admiração pela sua memória”, afirmou.

Em seguida, o arcebispo recordou que o caminho rumo ao Centenário Diocesano começou há três anos, com a abertura do triênio preparatório, e que cada etapa dessa contagem regressiva foi consagrada a um santo em particular: o primeiro ano, a São José; 2022, a Santo Antônio; e 2023, a Nossa Senhora. Após essa preparação trienal, a Eucaristia será o fio-condutor que regerá todas as programações festivas de 2024. Por isso, o tema escolhido foi “Fazei de nós um só corpo e um só espírito” (cf. Ef 4,4).

Sobre o marco na história da Igreja Particular de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira resumiu com a palavra “gratidão”. “Cem anos de bênçãos de Deus. Deus é maravilhoso conosco! Quando chegam essas datas, temos que olhar para cima, temos que agradecer a Deus tudo o que Ele nos deu, todas as pessoas que passaram antes de nós, todos aqueles que trabalharam, se esforçaram, até morreram por causa de Jesus Cristo neste período.”

O Pastor Arquidiocesano também apontou que a data leva a fazer projeções para o futuro. “A festa é um impulso, nos ajuda a andar para a frente, nos ajuda a pensar coisas melhores, a estabelecer coisas novas. Então, a festa também estabelece um novo momento de ação pastoral, de ação evangelizadora de Jesus Cristo na nossa arquidiocese de Juiz de Fora.”

Tríduo preparatório

A programação da grande festa do Centenário iniciará em 1º de fevereiro, dia exato da criação da Diocese de Juiz de Fora, com a abertura do tríduo comemorativo. “Nós pensamos em um tríduo, para as nossas 91 paróquias vivenciarem um itinerário de espiritualidade. O dia 1º de fevereiro, uma quinta-feira, será dedicado à Eucaristia, como centro da nossa vida da Igreja, como centro do nosso Centenário e também com a abertura do Ano Eucarístico”, contou Padre Rafael Nascimento.

Este ainda será um dia marcado pela concretude da fé, com o recolhimento de alimentos não-perecíveis e outros itens que beneficiarão obras sociais nas 12 foranias da arquidiocese. “A Eucaristia gera comunhão e é a partir dela que surge a missão da Igreja. Desta forma, nós faremos uma experiência de partilha, de olhar para os irmãos e irmãs que estão ao nosso redor e precisam ser assistidos com a nossa ajuda. Por isso, o dia eucarístico também será um dia de caridade, um dia da partilha, porque aquele que faz a experiência com Jesus Eucarístico se compromete com o próximo”, apontou o sacerdote.

Em 2 de fevereiro, Festa da Apresentação do Senhor e da Purificação de Nossa Senhora, e também primeira sexta-feira do mês, a palavra central será “misericórdia”. Para este dia penitencial e do perdão, a proposta é que haja atendimento de confissões, além da tradicional “Celebração da Luz”, com a bênção das velas.

Por fim, no encerramento do tríduo, será a conclusão do Ano Mariano na arquidiocese de Juiz de Fora e, por isso, será ocasião de render homenagens a Maria Santíssima. “Nessa caminhada de preparação para os cem anos, Maria Santíssima foi decretada como padroeira da nossa Província Eclesiástica, com o título ‘Mãe da Igreja’. Então, no sábado, em todas as paróquias, nós faremos alguns momentos devocionais, seja o Terço, o Rosário, a coroação, o luau mariano, para louvar e agradecer a Deus pelo cuidado e a intercessão de Nossa Senhora em nossa caminhada.” Também serão promovidas missas com bênção das gargantas, devido à celebração de São Brás. A nível arquidiocesano, este dia será marcado pela Ordenação Presbiteral de dois diáconos transitórios. A celebração será na Catedral Metropolitana, às 9h.

“Neste caminho preparatório, nós queremos fazer essa experiência da Eucaristia, da misericórdia e do cuidado materno de Nossa Senhora Mãe da Igreja, nos preparando para a grande festa, para esse tempo de júbilo, de louvor e de gratidão a Deus”, resumiu Padre Rafael.

Festa do Centenário

A grande solenidade dos cem anos da Diocese de Juiz de Fora será celebrada em 4 de fevereiro, em torno do altar da Catedral Metropolitana. A programação será iniciada às 14h, em momento conduzido pelo Pe. Pierre Maurício de Almeida Cantarino. “Será uma tarde de espiritualidade, anúncio da Palavra, mas também de muito louvor; louvor é uma forma de adoração e de gratidão a Deus. Pensar cem anos da nossa diocese é pensar a ação de Deus na vida do povo. É uma oportunidade de agradecermos a Deus a presença da Igreja como esse farol bonito que traz esperança, que traz fé”, sublinhou Pe. Pierre.

Neste dia, todas as pessoas presentes na Catedral receberão, de presente, uma medalha, como forma de recordação da festa do Centenário Diocesano. “Mandamos confeccionar as medalhas para que as pessoas que vão agradecer a Deus neste dia possam, de alguma forma, terem ali a memória daquilo que foram os cem anos. É uma forma de manter viva a presença e a história da Igreja”, apontou o sacerdote.

A tarde de espiritualidade irá preparar a Missa Solene das 16h, que será presidida pelo arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira. Estão previstas as presenças de bispos oriundos do Clero juiz-forano e da região, padres e diáconos do clero local e de representantes de todas as 91 paróquias da Arquidiocese de Juiz de Fora.

Para bem acolher a multidão que é esperada para este dia, será instalada, no exterior da Catedral, uma estrutura de telões, tendas e cadeiras. A expectativa é que de cinco a dez mil pessoas participem da programação do dia.

Inauguração de monumento

Durante a coletiva de imprensa, também foi revelada a inauguração de um monumento em referência aos cem anos da Diocese na Avenida Deusdedith Salgado, em Juiz de Fora. O lançamento da pedra fundamental está marcado para o dia 1º de fevereiro, às 12h, com a presença do arcebispo Metropolitano, Dom Gil.

Outros eventos comemorativos

Além das celebrações festivas da primeira semana de fevereiro, durante a coletiva foram enumerados outros eventos que marcarão o Ano Eucarístico na arquidiocese de Juiz de Fora. Entre eles, estão o lançamento de uma revista e de um livro comemorativos do Centenário Diocesano, ainda no primeiro semestre; a Semana Eucarística, de 26 a 30 de maio; a instituição do Santuário Arquidiocesano da Eucaristia, em data a definir; a Jornada Eucarística Jovem, em 25 de agosto; e o III Congresso Eucarístico de Juiz de Fora, agendado para 17 a 27 de novembro.

Assessoria de Comunicação/Imprensa da arquidiocese de Juiz de Fora
Fotos: Monalisa Lima

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira
plugins premium WordPress Pular para o conteúdo