Pesquisar

A luz da fé

O contrário da luz é a escuridão, a incapacidade para ver e entender as coisas da vida com maior perfeição. A luz também não pode ser apenas uma penumbra, aquela que não é nem claridade e nem escuridão. É uma conceituação que pode ser aplicada na prática da fé cristã, porque no sentir da Sagrada Escritura, o cristão não pode ser meio temo, morno, mas sim quente ou frio (cf Ap 3,15-16).

Não é fácil perceber e imaginar a luz da fé no meio de uma avalanche de situações do mundo com suas culturas, que ora, nos envolve. Isto exige muita capacidade de discernimento e a iluminação divina, ajudando as pessoas na superação do mal e de toda influência negativa, que as incapacita para perceber a presença das sementes do bem em meio a uma gama de outras realidades dominantes.

A luz da fé é uma expressão usada pela Igreja, em toda sua história, para fazer entender o grande e rico dom para a humanidade, que é a presença encarnada e viva de Jesus Cristo. Ele mesmo se declara como luz, como diz o versículo: “Eu vim ao mundo como luz, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas” (Jo 12,46). Isto confirma que a verdadeira luz é o Filho de Deus, Jesus.

O domínio da escuridão sempre foi muito forte no mundo. Ele fragiliza a esperança, é causador de doença e de muita morte, porque muitas mentes estão dominadas pela escuridão da fé. Desta forma conseguimos entender o fratricídio realizado por Caim, a exploração do templo de Jerusalém pelos cambistas, os assassinatos de hoje e as guerras intermináveis entre povos e nações.

Se a fé é um dom de Deus, uma gratuidade do Criador às suas criaturas humanas, ela deve ser vivida, como resposta de amor, de maneira responsável e comprometida com as exigências profundas desse amor divino. Mas isto só acontece na prática da caridade, da convivência e da amizade social, porque somos todos irmãos (Mt 23,8). Neste contexto, não pode haver espaço para o isolamento.

“Quem pratica o mal tem ódio da luz” (Jo 9,51). É quase impossível a perfeição total, porque a prática da fé tem oscilações, ora, positivas, de claridade e ora, negativas, de escuridão. Buscar a luz é ter os olhos voltados para Deus e para a cruz de Jesus Cristo, porque nele está a verdade suprema da luz da fé. É a mensagem de mudança proposta pela Quaresma e a Campanha da Fraternidade.

Dom Paulo Mendes Peixoto
Arcebispo de Uberaba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira
plugins premium WordPress Pular para o conteúdo