Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
post

Reinauguração da Rádio Diocesana em Campanha: Agora 100,3 FM

Em 15 de dezembro, numa celebração Eucarística presidida pelo bispo diocesano, Dom Pedro Cunha Cruz, concelebrada por um número expressivo de sacerdotes da diocese, bem como de dioceses vizinhas e com uma grande participação de fieis, uma nova história marcou nossa mais que centenária diocese da Campanha (MG) com a reinauguração da Rádio Diocesana 100,3 FM.

Do mandato missionário do Senhor “Ide pelo mundo inteiro e proclamai o Evangelho a toda a criatura!” (Mc 16, 15), é que nasce a Igreja, resposta da fidelidade de Jesus ao projeto de Deus de salvar a todos, este consumado na cruz, mas também resposta daqueles que se deixaram atrair pelo Evangelho a ponto de terem suas vidas transformadas e de não conter o desejo de comunicar essa experiência a todas as pessoas. É por isso que a Igreja existe para evangelizar. Está na sua essência o imperativo da saída missionária.

Ao chegar ao século XXI, a Igreja se depara com um novo cenário mundial, certamente nunca visto. Graças ao advento da globalização, muitas tecnologias foram aprimoradas, o que possibilitou ao próprio homem descobrir e desenvolver capacidades que jamais possuía. Percebe-se o surgimento de uma nova cultura, marcada pela midiatização, na qual o próprio estilo de vida das pessoas e o modo como vivem a sua fé sofrem alterações. E a Igreja não ficou indiferente a isso. Muito pelo contrário, seus pastores têm demonstrado, há várias décadas, o desejo de dialogar com este mundo em mudanças e para o qual a mensagem da Boa Nova do Reino deve ser comunicada de uma forma atualizada, que corresponda às expectativas dos homens e das mulheres de hoje. Por isso, é imprescindível que ela, através dos meios de comunicação, principalmente do rádio, e no emaranhado das redes sociais, faça-se presente em todos os espaços dessa nova cultura. Afinal, se o Evangelho continua sendo transmitido há quase dois milênios, é graças a essa capacidade singular do ser humano de estabelecer relações e de criar meios de comunicação para que elas se concretizem.

Em 1999, a Diocese da Campanha reassumiu a direção da Rádio Difusora da Campanha. E, a partir do ano 2000 teve início a sua 1ª fase de reestruturação. Em agosto de 2002 foi criada a FUNDAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DIOCESANA NOSSA SENHORA DO CARMO mantenedora da atual Rádio Diocesana. Em 2003 foi feita a reformulação da programação da emissora. Agora, em sua 2ª fase de reestruturação, a partir de abril de 2023 com a autorização do Ministério das Comunicações, realizou-se a migração da antiga Rádio Diocesana AM para Rádio Diocesana 100,3 FM um novo marco para a comunicação na Diocese da Campanha, com uma programação pensada com muito carinho e seriedade, de modo que todas as pessoas que compõem nossa Diocese, principalmente os agentes de pastorais/movimentos, padres e religiosos tenham participação ativa na Rádio.

Devemos ressaltar, nesta nova fase, a parceria com a Rede Aparecida de Rádio que é um sistema de comunicação com mais de 70 anos de pioneirismo e tradição que possui emissoras parceiras em quase todos os estados do Brasil, além de oferecer programas de formação, informação, evangelização e música de qualidade.

Por fim, queremos agradecer, de forma especial, ao nosso bispo diocesano, Dom Pedro Cunha Cruz, pelo apoio por esta migração e a todos aqueles que se empenharam para que essa reinauguração fosse possível.

Urge a necessidade de continuarmos caminhando! Uma coisa é certa: não é fechando-se ao diálogo com o mundo e às exigências de cada cultura que a Igreja conseguirá comunicar a alegria do Evangelho ao coração de todas as pessoas, a ponto de fazê-la transbordar na sua vida e de despertar o desejo de seguir a Cristo. Ser “sal da terra e luz do mundo” (Mt 5, 13-14) significa buscar transformá-los e santificá-los a partir de dentro. Esse é o protagonismo que a Igreja espera de todos os batizados.

Afinal, como nos lembra o Papa Francisco: Como cristãos, não podemos esconder que, ‘se a música do Evangelho parar de vibrar nas nossas entranhas, perderemos a alegria que brota da compaixão, a ternura que nasce da confiança, a capacidade da reconciliação que encontra a sua fonte no fato de nos sabermos sempre perdoados-enviados. Se a música do Evangelho cessar de repercutir nas nossas casas, nas nossas praças, nos postos de trabalho, na política e na economia, teremos extinguido a melodia que nos desafiava a lutar pela dignidade de todo homem e mulher (FT 277).

Acesse as fotos aqui

Texto: Pe. João Paulo Gonçalves de Carvalho – Assessor da Pastoral da Comunicação e Presidente da Fundação Cultural e Educacional Diocesana Nossa Senhora do Carmo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira
plugins premium WordPress Pular para o conteúdo